Às vésperas do Dia da Árvore (21/9), obra infanto-juvenil de autoria da bióloga brasiliense Nurit Bensusan incentiva visitações às áreas protegidase trata da conscientização da preservação do meio ambiente de forma lúdica

A história de 12 dos principais parques nacionais brasileiros é contada de forma divertida na obra infanto-juvenil  Labirintos – Parques Nacionais, de autoria da bióloga brasiliense Nurit Bensusan. Introduzidos com curiosidades que abordam a localização, extensão de área e formas de criação, o livro-jogo, da editora Peirópolis, traz ilustrações assinadas pelo cartunista Eloar Guazzelli com labirintos que estimulam uma viagem inesquecível a paisagens com territórios aquáticos e terrestres.  Labirintos – Parques Nacionais chega às livrarias de todo o país a partir da próxima semana, com lançamento no dia 29 de setembro, às 17h, na livraria Fnac do Parkshopping, em Brasília. Na ocasião, crianças e adolescentes terão a oportunidade de conhecer e brincar com os jogos da Biolúdica, empresa lançada por Nurit Bensusan como iniciativa de popularizar a ciência. A entrada é franca.

Em sua terceira obra de mesmo gênero, precedida pelos títulos  “Quanto dura um rinoceronte?” e “Rio + 20, +21, +22, +23“, a engenheira florestal e também mestre em Ecologia e doutora em Educação, Nurit Bensusan, tem como objetivo estimular o interesse do público infantil aos temas ambientais como forma de despertar a conscientização da preservação do meio ambiente.

“Acho fundamental aumentar o conhecimento, principalmente, do público jovem, sobre as áreas protegidas porque muitas pessoas não tem o conhecimento de que paisagens emblemáticas que constituem a identidade nacional, como o Corcovado e as Cataratas do Iguaçu, estão localizadas dentro de parques nacionais”, explica Nurit, que abordou o Parque Nacional de Brasília em sua dissertação de mestrado e trabalha atualmente com a conservação da biodiversidade em áreas protegidas.

Entre golfinhos, presídios, vulcões e bruxas voadoras

Com textos leves e engraçados, o livro-jogo aposta em suas 64 páginas curiosidades como os macacos que roubam pães de queijo no Parque Nacional de Brasília; o presídio que deu origem ao arquipélago de Fernando de Noronha (PE) e seus golfinhos acrobatas; os vulcões que foram berço de Abrolhos (BA) e que hoje serve de moradia para mais de 60 bodes; e a história das bruxas que cavalgam à noite entre os cânions de até 900 metros de altura de Aparados da Serra (RS). “Em Brasília, não tem quem não saiba onde é a ‘Água Mineral’, mas muita gente não sabe onde é o Parque Nacional de Brasília. E isso é muito esquisito, sabe por quê? Porque a Água Mineral e o Parque Nacional de Brasília são dois nomes do mesmo lugar”, traz um dos trechos bem humorados do livro.

A obra também levanta questões sobre o conflito da criação de áreas protegidas com populações locais. No Brasil, o primeiro parque foi criado em 1937, o Parque Nacional de Itatiaia, no estado do Rio de Janeiro. Logo depois, em 1939, foi criado o Parque Nacional do Iguaçu. De lá para cá, o país soma mais de 65 parques nacionais. “Como várias outras unidades de conservação no país, muitas vezes sua criação acaba criando conflito com as populações que residem nas áreas destinadas à proteção ambiental, pois segundo as leis brasileiras, as pessoas não podem morar dentro dos parques nacionais. O desafio continua sendo conservar a diversidade biológica do país sem causar mais exclusão social e sem prejudicar as comunidades locais. Isso sim é um tremendo labirinto…”, conclui a introdução.

Serviço:
Lançamento do livro-jogo Labirintos Parques Nacionais
Data: 29 de setembro (sábado)
Hora: 17h
Local: livraria Fnac do Parkshopping
Ingresso: entrada franca
Atrações: sessão de autógrafos e oficina de jogos de cartas sobre os seres vivos da Biolúdica, empresa lançada por Nurit Bensusan como iniciativa de popularizar a ciência (www.Bioludica.com.br)

Assessoria de imprensa Biolúdica:
(61) 8177 3832 / 8428 0719 Clarice Gulyas
claricegulyas@gmail.com / gulyascomunicacao@gmail.com

Anúncios